Não quero tomar seu lugar

Essa é uma carta aberta a quem assim desejar recebe-la

Sou uma mulher de quase meus 33 anos, tenho um relacionamento sério com uma pessoa que é pai, moramos juntos por nos amar e por nos apoiar um no outro. Temos ótimos momentos juntos, falamos sobre tudo, inclusive a relação de pai e filha (combo ex).

A questão é: não serei madrasta e muito menos quero ocupar um lugar de mãe.

Não quero ser mãe de sua filha, quero ser esposa de meu esposo e oferecer o melhor para ele e o que o acompanha, quero ser alguém que o ama e assim ama  tudo que faz parte da vida dele, eu estando lá ou não antes. Quero cozinhar o que ele gosta de comer junto com a filha dele, quero que ela desfrute de minha casa (pois eu moro aqui, ajudo nas contas, minhas roupas estão no mesmo armário, então essa é minha casa também) e minhas alegrias por já gostar dela como ela é.

Não, ela não fica sem atenção do pai por eu morar aqui, limito-me a conversar quando estou no mesmo ambiante, diante da recente chegada evito ficar muito no mesmo ambiente, pois mesmo assim, só pelo fato de eu estar aqui, ela foi induzida a pensar que eu era um  desvio da atenção do pai.

No primeiro dia ela comeu minha comida, usou meu computador, conversou comigo,mostrou suas tarefas, brincou  comigo.Hoje ela não me deu oi, não quis comer meu almoço e limitou-se a ficar no computador (que pedi para não dizer que era meu, pois até isso ela poderia deixar de fazer, não ligo de mentiras assim, pedi para que o pai dissesse que fez a comida e  eu apenas esquentei, pq ir ao clube sem almoçar não é bom como sol que faz lá fora), mesmo assim ela comeu muito pouco.

Pq uso as palavras “meu” e”minha”? Pq a filha é sua, eu não tenho filhos, eu tenho um namorado (marido) e coisas, e elas estão presentes aqui. Não quero ocupar seu lugar na vida de sua filha, não quero ocupar o lugar de sua filha na vida do pai, eu sou namorada, sei meu espaço, mas não vou deixar de gostar de sua filha, não vou deixar de estar aqui, não vou deixar sua filha sair de barriga vazia da minha casa, assim como creio que não sai da casa de seus relacionamentos.

Tenha um pouco de paciência, é tudo muito novo, mostre o que há de bom, em poucos dias que moro aqui tenho incentivado que o pai tenha mais tempo com ela, falei para ele ir no dia seguinte falar com ela sobre a “chateação” de ter uma namorada, vamos ser adultos e resolver essa questão, é triste uma criança não gostar de alguém sem saber pq não gosta.

Não vou comprar sua filha com doces, nem brinquedos, mas vou respeitar tudo nela, pois eu também já fui filha de um pai que teve outro relacionamento, e tive pessoas que me pediam para não gostar de minha segunda mãe  (eu ainda a chamo de mãe, pois ela foi uma mãe para mim). Já fui a segunda mãe de um menino, e muitas vezes fui pai onde o pai não era. Eu não sou um monstro, nem sou ladra de posições, eu sou apenas alguém que quer ser feliz e fazer feliz. Sou acima de tudo alguém que não lhe deseja mal, nem te conhece, nem quer que sejamos melhores amigas, mas vou sempre te respeitar como mãe, pois sei que é ótima  mãe.  Sua posição será sempre garantida, a do pai também, e a minha eu sei qual será sempre.

 

Encarecidamente, sejamos pessoas que se respeitam.

 

Do tempo que resgatei

Nasci, vivi e morri, morri várias vezes. Quis morrer de fato e tentei, sem sucesso, talvez não quisesse de verdade e sempre olhei naquela luz no fim do túnel (como dizem).

Desde minha consciência como ser humano eu quis não ter existido de fato. Neguei que assim vivia (sobrevivia) no meio da sociedade, não me sentia parte dela, apenas pedaços de mim cabiam ali, mas nunca o todo eu. Mas não podemos dividir ainda mais peças de um quebra-cabeças.

Amei, odiei, desprezei, sofri, fui feliz, fui meiga, fui cruel… Fui tudo ao mesmo tempo em vários períodos de um dia enquanto acordada. Dormindo ainda aconteciam os tormentos de sonhos confusos que me amedrontavam, em geral envolviam seres estranhos e histórias nada suaves para uma menina na pré-adolescência.

Toda essa negação de quem eu realmente era me transformou num adulto ator, eu interpretava alguém que não era, eu era um espelho, refletia o que cada um via de mim, quando se viam um pouco dentro desse espelho, ele era quebrado ou cobriam para não ser possível ver o reflexo.

Passado os anos eu fui catalogada: pessoa fria e centrada. Mas o engano é que eu não era nada fria e muito menos centrada. Pensamentos suicidas e parafilias, uma psicopatia completa. Transtornos, medo, negação. Tudo era muito turbulento dentro de mim, a explosão vinha enquanto sozinha e atingia o primeiro móvel ou peça em minhas mãos.

Relacionamentos conturbados, tanto amorosos como profissionais, me negava a ser regrada, me negava a seguir o padrão por muito tempo (o muito tempo para mim resumia-se em 15 dias). Pensamentos suicidas cada vez mais constantes, choros sem motivos, ódio sem cabimentos, irritação e raiva faziam parte do meu dia, se eu não sentisse era como se tivesse ficado sem comer o dia todo, isso me alimentava e eu sentia que existia quando estava num momento ruim, nos momentos bons nunca me senti presente.

(continua…)

 

Um relado da maternidade (ou: A comédia da vida privada)

Pró-vida só ama fetos bonitinhos, para ele é totalmente descartável o feto fruto de estupro ou de má formação. Pior ainda é descartar o recém-nascido, porque se o fetinho virar marginalzinho aí pode amarrar no poste, prender ou até matar mesmo, aí quando já está respirando e tem RG não é gente, é gente quando não tem nem cérebro, quando está no útero, depois que sai á cada um por si e deus contra todos.

“Ah, mas uma célula já tem vida ali”, então não trata câncer e nem tumor, pois em alguns casos o tumor tem ate dentes, cabelo, unhas, inicio de espinha dorsal, etc.

E o pró-vida censitário? Esse é o melhor, pois se for pobre pode abortar, muito melhor do que um monte de criança pobre cheia de ranho pedindo dinheiro no sinal enquanto eu ando com o meu Pálio voltando do trabalho para pegar o Junior no judô.


Fora o pró-vida amante do estuprador. Ele defende que o “pai” da criança pague pensão a mulher estuprada e que essa não aborte, que a criança viva com ela ou vá para adoção. Esse mesmo grupo geralmente defende que casais do mesmo sexo não devem adotar.

E para fechar, o pró-vida “descarte isso”. Ele defende que: Ai, não aborta, dê para adoção, tanta gente querendo filho e não pode ter então entregue essa criança para adoção. O julgamento é que pessoas são descartáveis quando não são desejadas.

E só pensam no feto, a mãe quando quer levar a gravidez adiante sofre, e como sofre viu, posto de saúde só escuta o coração e passa um remedinho pra controle de pressão e pronto, se vira querida que ser mãe é a coisa mais linda do mundo e você deve estar feliz, nem pense em reclamar porque quem abriu as pernas foi você. Na hora de abrir as pernas não estava doendo, não é?

Aí a mulher que tem o privilégio de pagar um plano de saúde tem data marcada pra ter o bebê, tem que pagar o obstetra para que ele te atenda no hospital que você vá dar a luz e se for fora do dia marcado eles não atendem é SUS e com o médico que tiver ali para te atender, e as dores das contrações são abafadas por gritos das enfermeiras dizendo que você está fazendo firula, que você aguenta, porque quem aguentou perder o cabaço aguenta outro ser humano entre 300-500gr saindo por onde passam menos de 10 cm na dilatação.

Aí a mulher pode escolher o tipo de parto? NÃO.

Ela tem que deitar, ficar quieta e deixar que o médico decida por ela, anestesia 3mil reais e relaxa que o bisturi vai te cortar, e reza para que a sutura seja bem feita, fora isso você pode ser obrigada a usar cintura alta porque a sociedade acha feio cicatriz de Cesária, esconde isso na praia porque é feio para mulher, ainda mais se você for solteira e estiver de olho naquele gatinho, ele vai olhar a cicatriz e pensar: poxa, eu não mereço namorar mãe solteira, criar filho do outro? Jamais, mijar no poste que já foi mijado é coisa de cachorro vira-lata, eu sou pitbulll saca mano?

Voltando ao o parto, ele pode ser natural se faltar anestesista, aí são 4 ou 5 enfermeiros pulando e socando sua barriga até que o bebê finalmente saia, e não pode gritar que voltam os constrangimentos: na hora de dar você não estava gritando. Constrangimento? Ah, não é não, afinal é o que uma pessoa que abre as pernas e goza não sente, feio mesmo foi fazer sexo com uma pessoa, que feio não é? Só não é mais feio que ser mãe solteira, porque agora você tem um estado civil que não aparece em certidões, seu estado civil agora sempre será: mãe solteira. Mesmo que você se case novamente, aí será mãe solteira vagabunda que vai tentar engravidar de mais um pra ter um filho de cada pai. Os adjetivos só melhoram.

As que não passam por isso, meus parabéns, não e porque você não passe/passou por isso que outras não passam, ok? Mas meus parabéns, eu tiro o chapéu pra quem aguenta tudo isso e depois se torna aquilo que a fez chorar no momento que supostamente é o mais bonito da vida de mulheres que desejam ser mães, essas vão falar para suas amigas: ai amiga, na hora do bem e bom você não estava reclamando, você está exagerando. Aí ela sai de cabeça erguida, enxuga uma lágrima escondida e grita: Vamos Juninho, eu ainda tenho que preparar o jantar do teu pai, te dar jantar, te dar banho, arrumar tudo, hoje tem futebol e a novela é mais curta.

A sociedade foi construída pela força, os fortes sobrevivem, os fortes oprimem, os opressores ensinam os oprimidos, esse é o verdadeiro problema.

Material de apoio para o leitor:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/10/1536781-conselho-federal-de-medicina-apoia-opcao-de-aborto-ate-o-terceiro-mes.shtml

http://drauziovarella.com.br/mulher-2/gravidez/a-questao-do-aborto/

Links em ordem do texto:

http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=2748604

http://www.istoe.com.br/reportagens/307105_FILHOS+DO+ESTUPRO

http://www.conjur.com.br/2013-jun-05/hermes-barbosa-reducao-maioridade-penal-nao-resolve-criminalidade

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/02/1407239-adolescente-e-agredido-a-pauladas-e-acorrentado-nu-a-poste-na-zona-sul-do-rio.shtml

http://virgula.uol.com.br/inacreditavel/bizarro/ao-retirar-tumor-medicos-encontram-dois-dentes-no-olho-esquerdo-de-indiana/#img=1&galleryId=514597

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2510200701.htm

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=443584

http://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/adocao/realidade-brasileira-sobre-adocao.aspx

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/camara-acelera-projeto-que-proibe-adocao-por-gays/

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/09/15/casal-gay-adota-4-irmaos-e-obtem-licenca-adocao-amamentamos-com-carinho.htm

http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-05/numero-de-cesarianas-no-brasil-e-mais-que-o-triplo-do-recomendado-pela-oms

http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2011-02-27/pesquisa-mostra-que-25-das-mulheres-sofreram-violencia-no-atendimento-ao-parto

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/em-73-dos-partos-normais-as-mulheres-sao-cortadas-na-vagina-1595608

http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/ser-mae/nao-me-corta-mulheres-imploram-mas-mesmo-assim-sao-mutiladas-durante-parto-normal/

http://sites.uai.com.br/app/noticia/saudeplena/noticias/2014/09/25/noticia_saudeplena,150552/oms-publica-declaracao-contra-violencia-obstetrica.shtml

https://www.facebook.com/pages/Eu-n%C3%A3o-mere%C3%A7o-mol-esbaga%C3%A7ada-20/782413881834191

https://www.facebook.com/pages/Eu-N%C3%A3o-Mere%C3%A7o-M%C3%A3e-Solteira/1597817330437475

Dez boas razões para votar em Aécio

Você vai votar no Aécio, então é a favor de tudo isso, boa sorte!

Blog da Boitempo

AÉCIO_10Por Michael Löwy.

  1. Se você acha que o que é bom para os bancos é bom para o Brasil, vote em Aécio.
  2. Se você acha que o que é bom para Exxon, Texaco, Goldmann & Sachs e J.P. Morgan (o banco do Armínio Fraga) é bom para o Brasil, seu candidato é o Aécio.
  3. Se você pensa que os Estados Unidos são os protetores da paz no mundo e que o Brasil deve se alinhar à política norte-americana, tem mesmo de votar em Aécio.
  4. Se você acha que a educação e a saúde estariam em bem melhor situação se fossem privatizadas, apoie Aécio.
  5. Se você acha que o salário mínimo está alto demais, agravando o “custo Brasil”, vote sempre em Aécio.
  6. Se você acha que o lugar de criança delinquente é no Carandiru, não deixe de votar em Aécio.
  7. Se você acha que os ricos, os fazendeiros, os empresários e…

View original post 379 more words

Bresser-Pereira: Meu voto em Dilma

Foi ministro da Fazenda do Brasil de 29 de abril de 1987 a 21 de dezembro do mesmo ano, durante o governo José Sarney. Foi ministro da Administração Federal, em substituição ao general-de-brigada Romildo Canhim, e ministro de Reforma do Estado em todo o 1° mandato presidencial de Fernando Henrique Cardoso (19951998) e ministro da Ciência e Tecnologia nos 6 meses iniciais do 2° mandato, permanecendo nesse cargo até 19 de julho de 1999.

Cursou a Faculdade de Direito da USP, é mestre em Administração de Empresas pela Michigan State University, doutor e livre docente em Economia pela USP. Ensinando na Fundação Getulio Vargas de São Paulo desde 1959, foi seu 1° professor a receber o título de professor emérito, em 2005. É presidente do Centro de Economia Política e editor da Revista de Economia Política desde1981 quando a fundou. Lecionou, em nível de pós-graduação, Desenvolvimento Econômico na Universidade de Paris I (Panthéon-Sorbonne), e Teoria Política no Departamento de Ciência Política da USP, e desde 2003 ministra curso de um mês na École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris.

Foi visitante do Instituto de Estudos Avançados da USP, e duas vezes do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Oxford(Nuffield College e St. Anthony’s College).

Na administração pública, além dos cargos citados acima, foi presidente do Banco do Estado de São Paulo (1983-85) e secretário de Governo do estado de São Paulo (1985-87) na gestão Franco Montoro. Foi ainda presidente do Clad (Consejo Latinoamericano de Administración para el Desarrollo) (1995-97) e presidente do seu Conselho Científico (1998-2005).

Em 1988, foi um dos fundadores do PSDB. Em 2011 declarou-se desligado do partido, que, segundo ele, caminhou de forma definitiva para a direita ideológica.1

É membro do conselho diretor do CEBRAP, de cuja fundação participou em 1970, do conselho consultivo do Grupo Pão de Açúcar, do qual foi diretor administrativo entre 1965 e 1983, do conselho de administração da Le Lis Blanc desde 2008 e patrono da Associação Keynesiana Brasileira desde sua fundação, em abril de 2008.

Seu 1° livro, Desenvolvimento e Crise no Brasil, lançado em 1968, teve a 5ª edição publicada atualizada em 2003. Vários dos seus livros foram traduzidos para o inglês, o espanhol e o francês.

Em 1988 fui um dos fundadores do Partido da Social Democracia Brasileira e sempre votei em seus candidatos à presidência. Mas, gradualmente, fui me afastando do partido por razões de ordem ideológica e, depois da última eleição presidencial, vendo que o partido havia dado uma forte guinada para a direita, que deixara de ser um partido de centro-esquerda, e que abandonara a perspectiva desenvolvimentista e nacional para se tornar um campeão do liberalismo econômico, desliguei-me dele. Por isso quando hoje perguntam em quem vou votar, a pergunta faz sentido.

Vou votar pela reeleição de Dilma Rousseff, não por que seu governo tenha sido bem sucedido, mas porque é ela quem melhor atende aos critérios que adoto para escolher o candidato. São dois esses critérios: quanto o candidato está comprometido com os interesses dos pobres, e quão capaz será ele e os partidos políticos que o apoiam de atender a esses interesses, promovendo o desenvolvimento econômico e a diminuição da desigualdade.

Dilma atende ao primeiro critério melhor do que Marina Silva e muito melhor do que Aécio Neves. Isto nos é dito com clareza pelas pesquisas de intenção de voto, onde ela vence na faixa dos salários mais baixos, e reflete a preferência clara pelos pobres que os três governos do PT revelaram. O mesmo se diga em relação ao segundo critério na parte referente à desigualdade. O grande avanço social ocorrido nos doze anos de governo do PT tem um valor inestimável.

Já em relação ao desafio do desenvolvimento econômico, o problema é mais complexo. Estou convencido que Dilma conhece melhor do que seus competidores quais os obstáculos maiores que vêm impedindo a retomada do desenvolvimento econômico desde que, em 1994, a alta inflação inercial foi superada. Os resultados econômicos no seu governo não foram bons, mas isto se deveu menos a suas fraquezas e erros, e, mais, ao fato que não teve as condições necessárias de enfrentar a falha de mercado estrutural que está apreciando cronicamente a taxa de câmbio e desligando as empresas competentes do país de seu mercado, e, assim, , está condenando a economia brasileira à quase-estagnação. Desde 1990-91 , ao se realizar a abertura comercial, os economistas brasileiros (inclusive eu, naquele momento) não estávamos nos dando conta que o imposto sobre exportações de commodities denominado “confisco cambial” – essencial para a neutralização da doença holandesa – estava sendo extinto. Em consequência, as empresas industriais brasileiras passavam a ter uma desvantagem (custo maior) para exportar de cerca de 25% em relação às empresas de outros países por razão exclusivamente cambial, e uma desvantagem desse valor menos a tarifa de importação (hoje, em média, de 12%) para concorrer no mercado interno com as empresas que para aqui exportam.

A esta causa estrutural de apreciação cambial (a não-neutralização da doença holandesa) devem ser adicionadas duas políticas equivocadas normalmente adotadas pelos países em desenvolvimento. A política de crescimento com poupança externa (de déficit em conta-corrente) e a política de âncora cambial para controlar a inflação apreciam o câmbio no longo prazo. Elas são responsáveis por cerca de mais 10 pontos percentuais de apreciação da taxa de câmbio que devem ser somados aos 25% acima referidos. Logo, a desvantagem total das empresas brasileiras em relação às empresas de outros países que exportam para os mesmos mercados que nós é, em média, de 35% ( 25% 10%), e a desvantagem total em relação às empresas estrangeiras que exportam para o mercado brasileiro é de 23% (35% – 12%). Estas duas desvantagens desaparecem nos momentos de crise financeira, que, mais cedo ou mais tarde, decorrem necessariamente dessa sobreapreciação.

Quando digo que a presidente não teve “condições”, estou dizendo que ela não teve poder suficiente eliminar essa desvantagem competitiva de longo prazo. Ela tentou: iniciou o governo fazendo um ajuste fiscal, reduzindo os juros, e promovendo uma depreciação real de cerca de 20%. Mas ela recebeu do governo anterior, marcado pelo populismo cambial, uma taxa de câmbio brutalmente apreciada, de R$ 1,90 por dólar, a preços de hoje. Por isso, a elevação da taxa de câmbio para cerca de R$ 2,28 por dólar não foi suficiente para torná-la competitiva.

A taxa de câmbio que torna competitivas as empresas competentes existentes no Brasil (que denomino “de equilíbrio industrial”) deve estar em torno de R$ 3 por dólar. Em consequência desse fato e da retração da economia mundial, a depreciação não foi suficiente para levar as empresas a voltar a investir; foi, porém, suficiente para aumentar um pouco a inflação. Diante desses dois resultados negativos, os economistas do mercado financeiro e a mídia liberal gritaram, mostraram erros do governo (como o controle dos preços da eletricidade e do petróleo e a “aritmética criativa” para aumentar o superávit primário) e assim, sob forte pressão e preocupada em não ser reeleita, a presidente foi obrigada a recuar.

Mas não terão os outros dois candidatos mais importantes condições de fazer o que Dilma não fez? Estou convencido que não. Não apenas porque eles também não terão poder para enfrentar os interesses de curto prazo dos que rejeitam a depreciação cambial porque não querem ver seus salários e demais rendimentos diminuam e a inflação aumente, ainda que temporariamente. Também porque seus economistas não reconhecem o problema da doença holandesa e não são críticos das duas políticas acima referidas. Supõem, equivocadamente, que a grande sobreapreciação cambial existente no país é um problema de curto prazo, de “volatilidade cambial”. Basta ler seus programas de governo.

Terá a presidente poder suficiente para mudar esse quadro caso reeleita? É duvidoso. Ela não enfrenta apenas a oposição liberal e colonial, que é incapaz de criticar a ortodoxia liberal e não vê os conflitos entre os interesses do Brasil e a dos países ricos. A presidente enfrenta também a incompetência da grande maioria dos economistas brasileiros, que, apegados a seus livros-texto convencionais, não compreendem hoje a tese central da macroeconomia novo-desenvolvimentista (a tendência à sobreapreciação cíclica e crônica da taxa de câmbio) como não entendiam entre 1981 e 1994 a teoria da inflação inercial. Naquele tempo havia apenas oito (sim, oito) economistas que entendiam a inflação inercial. Quantos entenderão hoje os economistas que compreendem porque, deixada livre, a taxa de câmbio tende a ser sobreapreciada no longo prazo, só se depreciando bruscamente nos momentos de crise de balanço de pagamentos?

Voto pela reeleição da presidente, mas já deve estar ficando claro que não estou otimista em relação ao futuro do Brasil. Quando as elites brasileiras não conseguem sequer identificar o fato novo (mas que já tem 23 anos) que impede que o Brasil volte a crescer de maneira satisfatória desde 1990-91, como podemos pensar em retomar o desenvolvimento econômico? A esquerda associada ao PT está muda, perplexa; a direita liberal supõe que basta fazer um ajuste fiscal para resolver o problema. Embora um ajuste fiscal forte seja essencial para a política novo-desenvolvimentista de colocar os preços macroeconômicos no lugar certo, apenas esse ajuste não basta. Será necessário também baixar o nível da taxa de juros e depreciar a taxa de câmbio para que a taxa de lucro se torne satisfatória e as empresas voltem a investir. Só assim a economia brasileira deixará de estar a serviço de rentistas e financistas, como está há muito tempo, e os interesses dos empresários ou do setor produtivo da economia voltem a coincidir razoavelmente com os interesses dos trabalhadores.

A presidente tem uma famosa dificuldade de ouvir os outros, mas é dotada de coragem, determinação, espírito republicano e se orienta por um padrão moral elevado. Conta, ao seu lado, com alguns políticos de boa qualidade. Ela foi derrotada no primeiro round, mas, quem sabe, vencerá o segundo?

Luiz Carlos Bresser-Pereira é economista, foi fundador do PSDB e ex-ministro do governo FHC

Fonte: Bresserpereira.org.br

ALGUMAS RAZÕES PARA NÃO VOTAR NO PT

Com o segundo turno entre Dilma e Aécio o debate aumenta e a tensão também, cada lado (partidário ou não) expõe suas ideias e argumentos. Vi esses argumentos na minha TL do Facebook e pedi autorização para copiá-las. Mas eu não consigo copiar algo simplesmente, eu gosto muito de pesquisar algo que é compartilhado nas redes sociais e acrescentar. Abaixo estão os argumentos encontrados em negrito, o demais é apenas uma ajuda ao debate que isso pode levar.

– PT votou contra a redução da maioridade penal, e pesquisas IBOPE mostraram que a esmagadora maioria do Brasil é a favor da redução. 

1°, isso não resolve a violência: Redução de maioridade penal é histeria e não diminui violência (Folha)

Países que reduziram maioridade penal não diminuíram a violência

2º Alguns do PSDB também votaram contra: Redução da maioridade penal: veja como cada senador votou

3° Aécio sequer votou: Aécio não votou texto sobre redução da maioridade…


– Governo já gastou mais de 16 BILHÕES de reais com propaganda política ao longo dos 3 mandatos.

Horário eleitoral custará R$ 839 milhões aos cofres públicos (EBC)

Propaganda política, uma ova! (hauaehueahau), as propagandas federais dizem respeito a informação a população como datas de vacinação, novos projetos, novas leis e PECs, convocação a funções democráticas, prevenção de doenças, novas constituintes. São propagandas informativas e não propagandas eleitorais, sendo essa segunda financiada por empresas ou pessoa física e nas eleições todos os partidos recebem sua porcentagem, inclusive o PSDB :v

3 mandatos = 12 anos: 16 bilhões = 1,3 bilhões por ano

Em 2008, quando a eleição limitou-se a prefeitos e vereadores, as concessionárias autorizadas a explorar os serviços de radiodifusão descontaram, a título de ressarcimento pela divulgação do horário eleitoral, R$ 420.3 milhões dos impostos devidos.

Ah, mas foi a Dilma quem assinou a nota? Então é propaganda “du petê!”

DECRETO Nº 7.791, DE 17 DE AGOSTO DE 2012

Regulamenta a compensação fiscal na apuração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica – IRPJ pela divulgação gratuita da propaganda partidária e eleitoral, de plebiscitos e referendos.

Compensação o caralho!

Eles exploram o espectro público, enchem o cu de dinheiro e ainda querem “ressarcimento” para servir o cidadão a cada dois anos? Vá pra puta que o pariu!


– Escândalos na Petrobras: Empresa tem grandes chances de vir à falência.

Valor da Petrobrax em 2003: U$ 15,4 bilhões

Valor da Petrobras em 01/2014: R$ 214 bilhões.

Petrobras: Central de Resultados

Apesar da perda de valor, empresa cresceu 300% de 2003 até 2013. Manchetes não mostraram crescimento.

Essa é uma empresa “falindo”?

E outra: esse é o valor na Bolsa de Valores, não é a economia real. Só o patrimônio da Petrobras vale o dobro disso.

Uma empresa que tem lucro EBITDA está falindo?


– Mensalão: Eles aparelharam o STF e mesmo assim foram 25 condenados por um conjunto de 6 tipos de crimes diferentes, julgamento demorou mais de 7 anos e processo tem mais de 50 mil folhas, ministros foram quase todos indicados pelo PT, e mesmo assim eles dizem que foi um julgamento “político”; PT defendeu os condenados e ainda fizeram vaquinha para eles.

Bem, isso aqui só mostra que o STF é independente e tem funcionado tranquilamente e cumprindo sua função, não tem choro nem vela, mas mesmo assim vou deixar um link para os juvenis aprenderem a pesar escândalos.

MCCE divulga ranking da corrupção por partido

DOSSIÊ “POLÍTICOS CASSADOS POR CORRUPÇÃO ELEITORAL”

E só mais isso aqui: O ex-ministro José Dirceu foi condenado sem provas. A teoria do domínio do fato foi adotada de forma inédita pelo STF (Supremo Tribunal Federal) para condená-lo. (Ives Gandra)


– PIB medíocre, relativo ao potencial do Brasil.

PIB cresceu nos últimos 12 anos. Não me venha com churumelas.

PIB mundial comparado ao Brasil, EUA, Japão e Reino Unido

PIB de todos os países, pelo Eurostat


– Submissão dos poderes Legislativo e Judiciário ao Executivo, e aparelhamento de uma forma geral da máquina pública, para trabalhar em favor de interesses eleitorais para o PT.

Ai meu santo do juízo jovem… Todo governo precisa trazer os poderes a trabalhar junto, mas não tem nada com esse mimimi de “interesses eleitorais”, o Legislativo, Judiciário ao Executivo nunca foram tão independentes em toda nossa história democrática, vimos inclusive o CNJ passar por cima do Executivo o que gerou uma revolta enorme na bancada evangélica quanto ao casamento civil igualitário.

O Judiciário está, inclusive, legislando.

PSC recorre ao STF contra resolução do CNJ que garante casamento gay (O Globo)

E querem que o Executivo legisle também (Reforma Tributária)?

Manual dos três poderes para idiotas: Os Três Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário

Mesmo o Executivo não pode fazer tais concessões sem o aval do Legislativo:

O Plenário aprovou nesta terça-feira (18), com emendas, o Projeto de Lei de Conversão (PLV) 15/2013, oriundo da Medida Provisória (MP) 609/2013, que reduz a zero as alíquotas do PIS/Pasep e do Cofins sobre a importação de produtos da cesta básica de alimentos. A matéria será encaminhada à sanção presidencial.


– Copa do Mundo com gastos superiores aos das 3 últimas Copas somadas.

http://placar.abril.com.br/materia/governo-divulga-gastos-com-a-copa-do-mundo-25-6-milhoes-de-reais

http://www.brasilpost.com.br/luis-henrique-rolim/a-verdade-sobre-sobre-os-gastos-na-copa_b_5473193.html

Folha: Custo da Copa equivale a um mês de gastos com educação

A maior parte dos gastos foi feita para o transporte e aeroportos. Somadas, as obras de vias e transporte público e dos aeroportos dá 60,1% dos investimentos. São 33,6% (ou 8,6 bilhões de reais) com transporte terrestre e 26,5% (6,8 bilhões de reais) com o transporte aéreo. Os portos ainda somaram 2,6% do total dos investimentos, enquanto a infraestrutura das telecomunicações receberam 1,4% dos investimentos. Estes foram os gastos que ficarão como legado após o torneio. Os gastos com os estádios (7,09 bilhões de reais) foram financiados pelo BNDES para os estados-sede, que terão que ressarcir o BNDES (que é um banco!).


– Completa omissão sobre realizar as tão necessárias Reformas. Reforma Tributária para diminuir e unificar as tarifas, com o fim de diminuir a carga tributária e desburocratizar o sistema de recolhimento. Reforma penal para endurecer as leis. Reforma Política, para diminuir número de partidos, ministérios, deputados, aumentar requisitos para se poder exercer um cargo político, etc.

Bem… Reforma Tributária: atribuição do Congresso e do Senado.

Mas tivemos IPI Zero, corte de tributos em medicamentos, corte de tributos em produtos de limpeza pessoal que nunca havia acontecido (além de muitos produtos da cesta básica).

Incentivos fiscais, pequenas empresas ganham taxas mais baixas, empreendedor individual podendo fazer empréstimos no BNDES…

Sancionada lei que beneficia micro e pequenas empresas

Sendo que o maior tributo sobre produtos e serviços é o ICMS estadual, que recai sobre energia e telecomunicações em até 30% (de Minas Gerais, do governador Aécio…).

Os comerciantes enfiaram a desoneração no bolso:

Apesar de a maioria dos produtos desonerados terem ficado mais baratos, o preço médio da cesta básica teve leve alta no período, de R$ 384,58 para R$ 387,75.

Nossa carga tributária é semelhante a do Reino Unido, onde a população é 1/3 do Brasil, ou seja, lá eles pagam três vezes mais impostos do que aqui, mas investem 15% na educação, aqui a nova constituinte foi para 10%, vamos chegar a 15% como? Só se subir mais, aí vocês decidem que porra vocês querem: pagar mais ou pagar menos.

Reforma política: Ficha limpa foi aprovando quando mesmo?

E mais esse link: Mitos econômicos brasileiros #1: “O Brasil tem a maior carga tributária do mundo”


– O PT não tem um projeto para o Brasil, tem apenas um projeto para se manter no poder.

Como assim? SiSU, PRONATEC 6,8 milhões de matrículas feitas abril de 2014 em mais de 3,2 mil cidades em todo o Brasil com R$ 14 bilhões investidos, PROUNI, PAC, PAC1, PAC2, PAC3, Novas universidades Federais (REUNI), 422 novas escolas técnicas, Ciência sem Fronteiras, Minha Casa Minha Vida agora junto com financiamento de móveis, Porto no Pará:

Investimento em 71 empreendimentos em 23 portos brasileiros para ampliar, recuperar e modernizar as estruturas visando uma redução nos custos logísticos, a melhora da eficiência operacional, aumento da competitividade das exportações e incentivo ao investimento privado. Há obras de dragagem de aprofundamento de infraestrutura portuária, de inteligência logística e de terminais de passageiros (para a Copa 2014).

http://www.pac.gov.br/transportes/portos

Novos incentivos para microempreendedor individual, que não paga ICMS, ISS nem imposto de renda e ainda pode ser financiado pelo BNDES com o cartão do microempreendedor.
http://portaldoempreendedor.gov.br/


– O PT é extremamente hipócrita, quando era oposição, uma das maiores críticas ao governo FHC foram as privatizações, mas durante seu governo realizou inúmeras privatizações, usando o eufemismo de chamá-las de concessões. Deveriam ter o caráter de assumir que em muitos casos privatizar é algo muito bom, desde que seja feito da maneira correta.

Os aeroportos voltam ao poder público em 30 anos. Quando a Vale do Rio Doce vai voltar? E a CSN? E a USIMINAS?

Concessão: ainda é do Estado, volta ao final.
Privatização: vendeu (Vale, CSN, USIMINAS), já era.

E do mais, não amam privatizar, estão reclamando de quê? O_o

(Essas respostas foram desenvolvidas em parceria com meu grande amigo Marco do #CCC)

Um perfil de Olavo de Carvalho

BERTONE SOUSA

Recentemente, o texto “Olavo de Carvalho: um filósofo para racistas e idiotas” ultrapassou cinco mil compartilhamentos no Facebook e há meses é um dos textos mais lidos diariamente neste blog. No total, os textos sobre o filósofo de boteco publicados nesta página somam mais de dez mil compartilhamentos nas redes sociais e mais de setenta mil visualizações, sem contar outros sites e blogs que os têm republicado. Devo isso aos leitores que têm ajudado a espalhar essas informações como gotas no oceano de mentiras com as quais Olavo contamina a internet há muitos anos. Como muitos leitores chegam aqui digitando o nome dele nos mecanismos de pesquisa, é importante advertir aos mais jovens ou mais inexperientes quem é Olavo de Carvalho. Embora possa passar a impressão de estar falando “mais do mesmo”, há elementos aqui importantes para quem quer ter perfil geral deste senhor. Antes, porém, preciso registrar uma resposta tardia.

View original post 3,504 more words